Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 11/12/2006 às 09h22

Crise na Segurança: homens armados afrontam a polícia e aterrorizam o Piauí

Publicidade

Publicidade

Assaltos a bancos, 'arrastões' em pontos de lazer, seqüestros relâmpagos, agressão dentro de distrito policial, troca de tiros em meio à via pública mais movimentada da capital, rebelião e tentativas de fuga de distritos, truculência policial em momento inadequado, são cenas que constroem um clima de terror e amedrontam piauienses em todo o Estado.

No segundo dia do mês de novembro deste ano, dois homens armados assaltaram a Agência do Banco do Brasil na Universidade Federal do Piauí, às 17h, horário de expediente interno da agência e de intensa movimentação dos acadêmicos no campus da UFPI.

A partir daquele assalto no campus universitário os piauienses passaram a sofrer com a intensificação da ação criminosa e a desmoralização do aparelho policial em todo o Piauí. Os repórteres do Portal AZ acompanharam tudo de perto, em um trabalho de registro da ousadia da bandidagem, da revolta das vítimas e de fiscalização das ações das polícias do Piauí.

O balanço das reportagens mostra um aparelho estatal sem poder de fogo contra os bandidos. Os exemplos vêm de dentro dos próprios distritos policiais e fora deles também. No caso interno tem-se visto impressoras que não funcionam, como relatou um empresário do ramo de setor civil que passou quatro dias para receber a impressão do Boletim de Ocorrência.

Sistema de registro de roubos de veículos da Polinter "fora do ar", sem que ninguém tome alguma atitude. Fato verificado por inúmeros cidadãos que lá procuram registrar suas queixas - problema tornado público após o seqüestro relâmpago que sofreu o jornalista Cláudio Barros e que quando procurou a Polinter não pôde registrar a ocorrência porque havia um problema na intranet, tendo que fazê-lo no 8º Distrito Policial.

Também há registro de falta de gasolina e de telefones cortados. Fato corriqueiro na gestão do atual secretário e Segurança, Raimundo Leite. Computadores quebrados e estresse do policial que se depara com tal situação dentro dos distritos evidenciam a bola de neve que se tornou a polícia do Estado.
Fonte: Portal AZ

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...