Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 04/01/2009 às 20h00

Filme "Ai que vida" de cineasta maranhense vira febre no Nordeste

Publicidade

Publicidade

Filme "Ai que vida" de cineasta maranhense vira febre no Nordeste

tvmfilmes.zip.net.

O filme do cineasta maranhense Cícero Filho, “Ai que vida!”, é o grande sucesso do momento em cidades como Pio XII – MA, Bacabal – MA, Santa Inês – MA, Pedreiras – MA, Esperantinópoles – MA, Bom Lugar - MA, Floriano – PI, Teresina – PI e outras cidades do Nordeste. São poucas as pessoas que ainda não viram o filme ou que não ouviram falar sobre ele nas cidades acima citadas.

O DVD, comprado nas bancas de camelôs ou copiado pelos fãs da obra, é comentário obrigatório nessas cidades. O incrível de tudo isso, diz Cícero Filho é que foram feitas pouquíssimas cópias originais desse filme, cerca de 300 DVDs apenas.

Chega a ser assustador como “Ai que vida” se alastrou, tudo culpa da pirataria”, diz Cícero as gargalhadas, completa ainda, “Fico feliz, ao ver que o “ai que vida”, está sendo aceito de forma positiva pela população. Difundir o cinema para a população menos favorecida é um foco primordial do meu trabalho. Meu maior lucro é ver as pessoas comentando que gostaram muito do filme, que se retrataram com o enrredo e as personagens!”, finaliza.

“Ai que vida” se passa na fictícia cidade de Poço Fundo (qualquer semelhança com Pio XII ou outras cidades maranhenses é mera coincidência). A cidade é administrada por um prefeito corrupto, Zé Leitão (Feliciano Popó), que tenta se reeleger. Mas dessa vez ele vai enfrentar a microempresária Cleonice da Cruz Piedade (Antonia Catingueiro), que se lança candidata à prefeitura revoltada com a morte de uma criança que consumira medicamento com a data de validade vencida, distribuído pelos cabos eleitorais de Zé Leitão para conquistar o voto dos eleitores pobres.

Paralelamente, desenvolve-se um triangulo amoroso entre a dançarina Charleni (Irisceli Queirós), o riquinho arrogante Jerod (Wellington Alencar) e o boêmio Valdir (Rômulo Augusto). Dançarina de uma banda de forró, Charleni possui bom coração, trabalhando voluntariamente numa instituição que cuida de menores infratores. Noiva de Jerod, ela desconfia de que seu namorado a engana, mas não pensa em desistir do casamento, embora seu coração esteja cada vez mais balançado para Valdir, que, por sua vez, passa por uma transformação pessoal.

Uma das personagens preferidas do público é a amiga de Charleni, Mona (Sara Castro), cujos trejeitos e expressões são uma das graças do filme.

O filme foi gravado nas cidades de Esperantinópolis (MA), Timon (MA), São Francisco do Maranhão (MA), Poção de Pedras (MA), Teresina (PI) e Amarante (PI). O cineasta Cícero Filho é natural de Poção de Pedras e está produzindo no momento o longa-metragem “Flor de Abril”.

Para conhecer um pouco mais sobre esse jovem e promissor diretor, visite o seu blog: http://tvmfilmes.zip.net/.

Fonte: Francisco Araujo /Pio XII

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...