Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 05/06/2011 às 17h41

Rosenery Mello do Nascimento, a "Fogueiteira do Maracanã", tem morte cerebral por aneurisma no Rio aos 45 anos

Publicidade

Publicidade

Rosenery Mello do Nascimento, a "Fogueiteira do Maracanã",  tem morte cerebral por aneurisma no Rio aos 45 anos

Reprodução Playboy

Rosenery Mello do Nascimento, a “fogueteira do Maracanã”, teve constatada morte cerebral neste sábado (4), aos 45 anos. Ela estava no Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, após sofrer um aneurisma cerebral. Os médicos tentaram a operação, mas ela não resistiu ao procedimento.

Rosenery ficou famosa por ser protagonista de uma das histórias mais inusitadas do futebol. Em 1989, durante uma partida válida pelas Eliminatórias da Copa de 1990 entre Brasil e Chile, ela disparou um sinalizador usado em navios na direção do campo. Quando a chama chegou ao chão, o goleiro chileno Rojas caiu no gramado como se tivesse sido atingido.

Formou-se uma confusão no gramado. O arqueiro, sangrando, foi retirado de campo, assim como a seleção chilena. O árbitro argentino decidiu então encerrar a partida aos 24 min do segundo tempo, quando o Brasil vencia por 1 a 0. Rosinery, por sua vez, foi detida pela polícia em flagrante.

No entanto, a moça não ficou muito tempo presa, já que logo em seguida todos descobriram que Rojas estava apenas fazendo cena. Imagens de televisão mostraram que o goleiro aproveitou-se do tumulto para retirar uma lâmina na luva e cortar o próprio supercílio. Descoberta a farsa, o goleiro, o treinador Osvaldo Aravena e o médico Daniel Rodríguez foram banidos do futebol. Porém, Rojas foi anistiado em 2001 e passou a trabalhar como treinador de goleiros do São Paulo.

O capitão da equipe, Fernando Astengo, e a Federação Chilena foram suspensos por quatro anos, impedindo que a seleção disputasse não só a Copa da Itália, mas também a dos EUA, em 1994.

O Brasil não sofreu nenhuma sanção e nem Rosenery, que ainda embarcou na fama repentina, concedeu inúmeras entrevistas na televisão e nos jornais e chegou até mesmo a ser capa da revista Playboy em novembro de 1989.

Fonte: UOL

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...