Economia Quinta, 24 de Abril de 2014

Piauí ganha 63 mil novas empresas nos últimos dez anos


11/02/2012 - 18h25min

Divulgação

 Nos últimos dez anos, o piauiense tem descoberto os benefícios de abrir sua própria empresa e sair da informalidade. Dados da Junta Comercial do Estado do Piauí (JUCEPI) revelam que, de 2000 a 2011, foram abertas 63 mil novos empreendimentos no Estado. É neste cenário empreendedor que os contabilistas comemoram a rápida colocação no mercado.

 Dados da JUCEPI apontam que, no ano passado, o Piauí registrou a criação de 11.600 novas empresas ou filiais, um crescimento real de 100 novas empresas em relação a 2010, ano no qual foram registrados 11.500 empreendimentos.

“Este cenário é muito interessante de ser analisado. A Junta Comercial do Piauí existe desde 1892 e até o ano 2000 registramos a criação de 61 mil empresas. No entanto, de 2000 a 2011, 63 mil empresas foram criadas. Ou seja, em 10 anos tivemos um crescimento maior do que nos outros 108 anos de história da JUCEPI”, diz o secretário geral da Junta Comercial, José Eduardo Pereira.

Segundo o auditor fiscal independente, Jorge Ivan Teles, as pessoas que abrem negócios próprios no Piauí, para não integrarem o índice das micro e pequenas empresas que fecham antes dos dois anos de criação, devem sanar algumas dúvidas. Para isso, o profissional da área contábil é ferramenta prioritária.

“Muitas vezes as pessoas que pensam em entrar para este grupo das micro e pequenas empresas têm muitas dúvidas e acabam se sentindo perdidas com a quantidade de números com os quais terão de lidar. Assuntos como contabilidade de caixa, contabilidade de exercício, passivos e ativos, custo fixo e projeções devem ser dominados pelo empreendedor. Por isso a importância de um profissional contabilista na empresa. Ele poderá resolver essas questões que estão diretamente relacionadas com a sobrevivência do empreendimento”, afirma Jorge Ivan.

Dentre as possíveis áreas de atuação, os formados em Ciências Contábeis podem trabalhar como contador no setor público ou privado, perito, controlador e auditor.

 Jorge Ivan Teles explica que a demanda por profissionais é grande aqui em Teresina. Segundo o auditor, após concluído o curso de graduação e aprovados no Exame de Suficiência em Contabilidade – que registra o contabilista nos conselhos regionais de Contabilidade (CRCs) e regulamenta o exercício da profissão – a colocação no mercado de trabalho é quase que imediata.

“É importante ressaltar que a qualificação do contabilista vai decidir seu sucesso profissional. O diploma não é suficiente. Uma informação analisada por um contabilista de forma errada pode fazer com que uma empresa vá à falência. Por isso, tendo em vista a importância da função, quem ingressa no mundo contábil não pode nunca parar de estudar", pontua.

O Piauí conta atualmente com 5.285 profissionais da área contábil, entre contadores e técnicos. As organizações contábeis, entre sociedades, empresários ou empreendedores individuais, somam 703 em todo o Estado.

Fonte: R2


Palavras-chave: Juecpi , junta comercial , Jorge Ivan Teles


Comentários (0)

Nenhum comentário

Comentar


feed
facebook
twitter

Desenvolva seu site - Mundi Brasil