Local Quarta, 23 de Abril de 2014

Clube dos Diários: passado de elite e presente popular em Teresina


16/08/2012 - 09h31min

Clube dos Diários é um centro cultural importante da capital (Foto:Thiago Amaral)

O Clube dos Diários, um dos mais importantes centros culturais do Estado, faz parte do Complexo Cultural Praça Pedro II, que engloba ainda o Theatro 4 de Setembro e a Central de Artesanato Mestre Dezinho. Inaugurado como sede própria da Sociedade Recreativa Club dos Diários em 1927, o local era o ponto de diversão da alta sociedade teresinense noutros tempos áureos.

No Clube, eram realizadas várias atividades para divertir os sócios, como recepções a autoridades, bailes de carnavais e concursos de misses.  O empresário Abelardo Linhares viveu parte da época de ouro  e lembra, com certo saudosismo, os momentos de diversão que o lugar lhe proporcionou. Como sócio dependente do irmão, costumava, quando novo, frequentar o clube, que era o point de reunião da juventude da alta sociedade.

“Nós chegávamos à Praça Pedro II por volta das 6 horas da tarde, e ficávamos namorando as moças e esperando começar as tertúlias no Clube dos Diários, por volta de 8 horas da noite”, conta. As tertúlias eram festas, muito comuns em casas de família, onde qualquer um podia chegar para dançar.

No entanto, não era qualquer um que podia fazer parte do grupo de associados. Apenas um seleto grupo da elite teresinense integrava a Sociedade. “Existia um conselho diretor que avaliava quem pretendia ser sócio. Além do poder econômico, era preciso ter também um comportamento compatível”, explica Abelardo.

Essa mesma exigência, que um dia foi a receita de sucesso do Clube dos Diários, pode ter sido a razão da decadência do clube, na visão de Abelardo. “Depois de um tempo, as pessoas não queriam mais passar pelo constrangimento de ser avaliadas para se tornar sócias do Clube. Além disso, a cidade foi crescendo e outras opções foram aparecendo”, diz.

Centro Cultural
Após um período de abandono, o Clube dos Diários foi reformado pelo Governo do Estado na década de 1990, tornando-se um centro cultural. Apesar de não ter o mesmo glamour de outrora, o Clube continua sendo um importante para a cultura e boemia teresinense, com espaço para exposições, exibições de filmes e apresentações musicais.

O diretor do Complexo Cultural, Antoniel Ribeiro, afirma que a maior movimentação de visitantes é registrada às quartas-feiras, quando é realizado o projeto Boca da Noite. “No Boca, comparecem cerca de 500 pessoas, e o espaço todo tem, no mínimo, 3.000 visitantes por mês”, relata. As apresentações realizadas geralmente são de baixo preço ou gratuitas, para que mais pessoas tenham acesso à cultura piauiense.

Curiosidade
A Sociedade Recreativa Club dos Diários havia sido fundada em 1922, e as reuniões entre seus associados aconteciam em residências particulares até a inauguração da sede, no cruzamento das ruas Treze de Maio e Álvaro Mendes, onde o clube funciona até hoje. Além da sede social, existia também a sede esportiva, no bairro Jockey Club, onde os sócios desfrutavam de piscinas e áreas para prática de esportes.

Fonte: Wenner Tito


Palavras-chave: clube dos diarios , teresina 160 anos , aniversario de teresinaa 19


Comentários (0)

Nenhum comentário

Comentar


feed
facebook
twitter

Desenvolva seu site - Mundi Brasil