Policial Domingo, 20 de Abril de 2014

Câmera flagra execução de advogado na área nobre de Niterói - RJ


30/12/2008 - 10h58min

Depois de analisar as imagens que registraram a morte do advogado Luiz Antônio Gomes Esteves, de 43 anos, a polícia mudou completamente a linha de investigação. A hipótese de "saidinha de banco" foi descartada pela delegada que investiga o caso, Janaína Peregrino, da 77ª DP (Icaraí).

Clique aqui para assistir ao vídeo das câmeras de segurança

De acordo com a delegada, nenhuma quantia foi retirada pelo advogado do caixa eletrônico do Banco Real, na Rua Miguel de Frias, em Icaraí - onde ocorreu o crime. Além disso, as imagens mostram que o assassino chegou ao local com a intenção de matar a vítima.

Luta com assassino
Imagens obtidas com exclusividade pelo EXTRA mostram o momento em que o bandido faz os disparos. O circuito de TV de um condomínio, em frente ao local do crime, revelam que Luiz Antonio foi atingido no braço. O bandido passa pela câmera do prédio e, em seguida, atira no advogado. Vítima e assassino aparecem no canto do vídeo. Mesmo baleado, Luiz Antônio lutou com seu assassino, que fez mais um disparo, no meio da rua. Dessa vez, o advogado foi baleado na testa e não resistiu. As imagens ainda mostram a fuga do bandido.

A polícia acredita que vai chegar ao autor do crime nos próximos dias. Informações da 77ª DP mostram que, em maio de 2007, um amigo do advogado registrou uma ocorrência contra ele por difamação profissional. Luiz Antônio tentava, sem sucesso, reatar sua amizade com o colega de trabalho.

Apesar de mais remota, a possibilidade de latrocínio - roubo seguido de morte - não será totalmente descartada pela polícia.

- No vídeo, observamos uma luta corporal com o bandido. Além disso, nada foi levado da vítima - disse a delegada Janaína Peregrino.

Testemunhas
A polícia ouviu, ontem, o irmão e um sobrinho do advogado assassinado. Hoje, devem ser ouvidos a mãe e a irmã da vítima. Além dos parentes, outras pessoas que presenciaram o crime estão ajudando nas investigações. Testemunhas contam que o advogado era uma pessoa discreta. A polícia acredita que a divulgação das imagens possa ajudar a chegar ao assassino.

O advogado foi enterrado, anteontem, no Cemitério Parque da Colina, em Niterói, sob clima de revolta. Durante o sepultamento, os parentes cobravam da polícia uma investigação rápida.

Fonte: extra.globo.com


Palavras-chave: violência , Niterói , Rio de Janeiro


Comentários (0)

Nenhum comentário

Comentar


feed
facebook
twitter

Desenvolva seu site - Mundi Brasil