Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 01/02/2008 às 20h09

Cirurgia a laser é a arma mais eficiente contra o cálculo renal

Publicidade

Publicidade

Cerca de 10% da população mundial sofrerá de cálculo urinário alguma vez na vida. As conhecidas pedras nos rins costumam causar dores, vômitos e muitos desconfortos nas suas vítimas. Mas tratamentos inovadores, como a cirurgia a laser, têm devolvido qualidade de vida para inúmeros pacientes.

Os cálculos urinários podem se desenvolver em diversos órgãos do trato urinário como bexiga e ureter, mas o cálculo renal ainda é o mais conhecido da população. O problema surge a partir da cristalização de sais presentes na urina. O processo tem dentre suas causas fatores genéticos e fatores ambientais, relacionados a hábitos dos pacientes.

"Pessoas que bebem pouca água durante o dia têm maior predisposição ao desenvolvimento do cálculo urinário. Isso porque a baixa quantidade de água no organismo favorece a cristalização dos sais da urina" explica o médico Lázaro Rogério Carvalho, urologista da Med Imagem e Prontomed.

Por isso, beber água é a principal medida preventiva para quem quer passar longe das pedrinhas nos rins. Evitar o consumo exagerado de sódio, presente no sal, temperos, conservantes e em alimentos industrializados, também ajuda a impedir o surgimento do problema.

Atualmente, o tratamento mais moderno disponível para os casos de cálculo urinário que exigem intervenção é a cirurgia endoscópica com o uso do Holmium laser.

No procedimento, o médico, utilizando-se dos orifícios e trajetos naturais do corpo humano e com o uso de instrumentos de visualização flexíveis (óticas flexíveis) e fibras óticas, conduz o laser até o local em que se encontra o cálculo.

"Assim que possuímos uma visualização direta do nosso alvo, utilizamos o Holmium laser para pulverizar o cálculo urinário. Este se reduz a fragmentos de espessura inferior a 1mm e passa a ser facilmente expelido pela urina", explica o Dr. Lázaro Rogério.

Segundo o médico, a cirurgia com o uso do Holmium laser possui inúmeras vantagens se comparada com outros procedimentos também utilizados para combater o cálculo. "A cirurgia a laser é minimamente invasiva. Como temos uma visualização precisa, atingimos apenas o cálculo, sem qualquer dano aos tecidos naturais vizinhos, o que ocorre em outros métodos. O tempo de internação é de apenas 24 horas e a taxa de sucesso da cirurgia é de quase 100%, sendo aplicada a todos os tipos de cálculos urinários de qualquer tamanho em qualquer localização do trato urinário”, destaca o especialista.

Este é o procedimento mais utilizado nos Estados Unidos para tratamento do cálculo renal. Em Teresina, apenas o Prontomed, hospital da Med Imagem, dispõe dos equipamentos necessários para a realização desse tipo de cirurgia.

Outros locais costumam utilizar equipamentos que combatem o cálculo através de ondas de choque aplicados de forma extracorpórea. "O problema desse procedimento é que ele pode causar traumatismo renal e há um índice de falha considerável, devido a alta consistência de 50% dos cálculos e dos fragmentos do cálculo produzidos após o método serem bem maiores, o que podem causar complicações após o procedimento", explica o médico.

O baixo índice de reaparecimento do problema em pessoas que se submeteram a cirurgia com o uso de Holmium laser aliado a baixa necessidade de re-tratamentos é outra vantagem do método. "Na maioria dos casos tratados, o transtorno causado pelo cálculo renal passa a ser um evento único e, com a devida orientação, reduz-se drasticamente a necessidade de um novo procedimento", destaca Lázaro Rogério.

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...