Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 23/01/2009 às 00h25

Dores e desconforto causados pelo joanete estão com dias contados

Publicidade

Publicidade

Um dos motivos que leva as pessoas a procurarem um ortopedista e que atinge grande parte da população é o joanete. Diferente do que muita gente pensa, joanete não é um osso que cresceu ou que surgiu, mas sim, um desvio no osso metatarsiano do primeiro dedo do pé ou um conjunto formado por protuberância, deformidade na lateral do dedão do pé, desvio rotacional e desvio angular em direção ao segundo dedo. Porém não há motivos para pânico, tranqüiliza o Ortopedista Dr. Marcos Kardequi Silva Raquel, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André, afirma que as dores e desconforto causados pelo joanete estão com os dias contados, pois para este mal existe cirurgia.

A deformidade é cientificamente chamada de hallux valgus e é um mal que atinge principalmente as mulheres, cerca de 10 mulheres para um homem, que em busca da beleza, acabam abusando dos sapatos de salto alto e bico fino. A artrite reumatóide e os pés chatos contribuem para o aparecimento do joanete. Normalmente, o paciente que tem joanete, já nasce com uma predisposição genética e o problema se agrava com o uso de sapatos inadequados.

Segundo o Ortopedista, a saliência pode provocar pressão sobre a articulação dos demais dedos, que com o decorrer do tempo ficam curvos e aumentam de tamanho. "Se a deformidade for pequena, raramente incomodará, já em deformidades maiores, podem ocorrer dores fortes e até dificuldade no uso de sapatos comuns" explica o especialista.

Para evitar o joanete, o médico faz alguns alertas como, não usar sapatos de bico fino ou salto alto, utilizar sapatos ou tênis adequados e criar o hábito de exercitar os pés.

Existem dois tratamentos para o joanete, o não cirúrgico e o cirúrgico, que variam de acordo com o grau de deformidade e desconforto. No primeiro, são adotados sapatos confortáveis, almofadas entre os dedos ou embaixo do ante-pé. Já o tratamento cirúrgico depende da avaliação do Ortopedista, que deve analisar a situação da deformidade.

A cirurgia para correção do joanete é eficaz, com anestesia geral ou pentabloqueio local, normalmente necessita de um dia de hospitalização. O sucesso da cirurgia é quase que total, desde que o paciente siga corretamente as recomendações médicas durante o pós-operatório, como por exemplo, ficar sem pisar de 10 a 15 dias, utilizar somente a "Sandália De Barouk" (Sandálias para uso pós-operatório), após este período até a liberação médica, evitar caminhadas desnecessárias e esforços exagerados, além de realizar as consultas pós-operatórias. Depois da cirurgia, o pé fica com melhor aparência, sem deformidade, sem vermelhidão e com o dedo na posição normal e a recuperação leva de dois a seis meses.

Existem mais de 400 tipos de técnicas para correção do joanete, porém cada paciente deve ser avaliado individualmente para que o médico identifique o procedimento mais adequado.

Vale lembrar que o tratamento não cirúrgico apenas alivia o desconforto e não deixa evoluir a deformidade, já no tratamento cirúrgico o problema é extinto.

Dr. Marcos Kardequi Silva Raquel é Ortopedista e Especialista em pé, faz parte do Corpo Clínico do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...