Cabeça de cuia - A opção inteligente

Publicidade

Publicado em 10/02/2009 às 05h25

Suor Excessivo tem tratamento

Publicidade

Publicidade

O suor em excesso ocorre devido a uma disfunção do sistema nervoso simpático chamada de hiperidrose, e caracteriza-se por ocorrer várias vezes ao dia, tanto sob clima quente quanto frio, em uma ou mais áreas: face, couro cabeludo, pescoço, axilas, mãos, nádegas, virilhas e/ou pés. "Embora não possa ser considerada uma doença, é um distúrbio que, pela sua importância social e pelo desconforto que causa, leva as pessoas a usarem inúmeros artifícios para escondê-la", conta a médica dermatologista Ana Cristina Fasanella, diretora da Clínica Dermatologia Fasanella.

Quem sofre com este tipo de problema procura suavizá-lo com uso de medicamentos orais e tópicos, psicoterapia e outros métodos, sem obter resultados significativos. De acordo com pesquisas médicas (American Journal of Dermatology 2004) de 1 a 3% da população apresenta os sintomas, sendo que somente 38% se queixam ao médico. "Quando o paciente chega ao consultório, o diagnóstico é feito com base no seguinte quadro clínico: sudorese localizada, visível e excessiva, principalmente, nas axilas, mãos e/ou pés; duração maior que 6 meses; histórico familiar; piora com situações de stress físico ou emocional, dentre outros aspectos", ressalta a médica.

Segundo a Drª Ana Cristina Fasanella, hoje, dentre os tratamentos mais procurados nas clínicas dermatológicas está a aplicação da Toxina Botulínica Tipo A. "São realizadas injeções locais de toxina, que inibe a liberação da acetilcolina, bloqueando a passagem do estímulo nervoso das glândulas sudoríparas, proporcionando a interrupção da sudorese", relata. Neste tratamento, o efeito dura de 8 a 18 meses, com possível complemento após 15 dias da primeira aplicação, dependendo do quadro clínico. Para que o resultado possa oferecer satisfação para o paciente, é necessário evitar atividade física nas primeiras 48 horas.

Draª Ana Cristina Fasanella,
é médica dermatologista - CRM 74335. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia - desde 1992 / Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica - desde 1994 / Membro do Grupo Brasileiro de Melanoma - desde 1997. É Diretora da Clínica Dermatologia Fasanella em São Paulo-SP.

Enviar por E-mail

Comentários

carregando os comentários...